Tijolaço na testa – Huck se retira

O bom jornalismo – investigativo e atuante – continua vivo e forte na blogosfera… e fazendo vítimas. A candidatura Huck é apenas a mais recente delas.

tijolaço

Foi no já histórico 2013 que o jornalista Miguel do Rosário – do alto de seu blog “O Cafezinho” – peitou ninguém menos do que a Globo e a sua história de sonegação fiscal. Havia documentos, Rosários os obteve. A notícia repercutiu fazendo com que a própria Globo viesse a público se posicionar.

Feito a se registrar, um minúsculo blog dando um furo a respeito do maior e mais temido grupo de comunicação do Brasil. Era apenas o bom jornalismo mostrando sua força.

Três anos depois, a Globo se vê novamente acuada pela blogosfera de esgoto. Farejando a poeira levantada pela Lava Jato em relação à Mossak-Fonseca, em mais uma das “cagadas do Moro”, chegaram à Paraty House – uma mansão com sérios problemas junto aos órgãos ambientais e atribuída à Família Marinho – propriedade negada por ela a lances de intimidação judicial. Outro furo de reportagem e bom jornalismo.

No mesmo ano de 2013, o jornalista Luis Nassif – entrincheirado no seu blog, o GGN – sustentou uma campanha contra um poderoso grupo mafioso – o Caso Telexfree. Poderoso a ponto de constranger o Ministro da Justiça. Gente perigosa. Recebeu ameaças e teve seu blog atacado com armas da guerra cibernética. Venceu e desmontou um golpe internacional que custou centenas de milhões de reais aos otários que acreditaram ser possível ganhar dinheiro fácil. Hoje, aos poucos, os mafiosos estão sendo presos… nos EEUU. Prestou um enorme serviço de utilidade pública, como é do bom jornalismo. Merecia um prêmio; deve ter ganhado um aumento de custos para manter seu blog no ar e o respeito que não paga contas, mas garante a sobrevivência jornalística.

O mesmo Luis Nassif, em 2014, enquadrou o todo poderoso ministro Gilmar Mendes em relação às manobras para mudar o resultado das urnas pela reprovação das contas da candidata eleita, Dilma Rousseff. O ministro passou recibo e aprovou as contas.

Um blog e o bom jornalismo – credibilidade é uma arma quente.

Em 2014, o blog DCM – Diário do Centro do Mundo – do jornalista Paulo Nogueira cunha o neologismo “helicoca” e, em um documentário de fôlego, uma grande reportagem traz à luz os detalhes da apreensão de meia tonelada de cocaína no helicóptero de um senador da República, amigo íntimo do candidato de oposição nas eleições daquele ano. O um caso que a grande imprensa – que cobria “escândalos da tapioca” – não achou interessante investigar. O caso repercutiu a ponto do senador Perrela buscar junto à Justiça que o DCM fosse proibido de usar o termo “helicoca”. E assim o inscreveu na crônica político-policial do Brasil.

Em 2016, jornalista Eduardo Guimarães, do Blog da Cidadania, vazou o intocável juiz Sergio Moro e sua intenção de prender Lula preventivamente. A missão foi abortada. Guimarães, no entanto, pagou seu preço de bom jornalista. Sofreu na pele a arbitrariedade que era destinada a Lula. Foi preso a mando de Moro. Entrou na cela como vendedor de autopeças e saiu dela, horas depois, como jornalista reconhecido por seus pares – exceto por Eliane Cantanhêde – no que pode ser um elogio ao seu bom jornalismo. Já Moro demostrou ser um juiz capaz de prender em causa própria.

Busco de memória esses casos – a degenerescência natural é a causa de não citar outros – em função das notícias vinculadas desde 15 de fevereiro de 2018 de que Luciano Huck retira sua candidatura a candidato nas eleições presidenciais deste ano.

Os desdobramentos dessa retirada ainda estão em análise. Mas uma das causas é clara: Huck foi abatido em voo em seu jatinho particular por um “Tijolaço” do jornalista Fernando Brito. Que, em um furo para se pendurar na parede, trouxe ao conhecimento  o financiamento milionário a juros subsidiados pelo BNDES do avião particular de Huck. E também do financiamento via Lei Rouanet das suas obras filantrópicas. Dinheiro público não combina com discurso de empreendedorismo. Há que se dar explicações sempre inconvenientes e Huck achou por bem não. Custou-lhe a candidatura.

Que uma candidatura presidencial bancada pela parte mais substancial do PIB brasileiro seja inviabilizada por um blog só mostra que o bom jornalismo continua forte. E a blogosfera tornou-se seu habitat.

Blogs – os herdeiros da “imprensa nanica” da resistência cultural à ditadura Ditadura de 64. Não mais. A imprensa nanica podia ser tolerada como o jus sperniandi do jornalismo independente. Os blogs não. São um fenômeno cujo poder construído a base de bom jornalista está sendo provado.

Anúncios

2 comentários

  1. E VOCÊ TEM IDEIA DE QUEM ANDA POR TRÁS DO CONTRABANDO DE NIÓBIO?
    A REDE GBOBOMINAS E O ASPIRADOR DE PÓ, O POZINHO, O AHHH! É SIM! SACOU?

    Farra aérea dos golpistas sem moral: Dória pegou R$ 44 mi no BNDES para comprar jatinho
    > https://gustavohorta.wordpress.com/2018/02/13/farra-aerea-dos-golpistas-sem-moral-doria-pegou-r-44-mi-no-bndes-para-comprar-jatinho/

    POIS É. MAIS UM DO PSDB.
    NORMAL, NÉ NÃO?

    Jatinho do Huck, outra tramoia de alguem ligado ao PSDB
    https://gustavohorta.wordpress.com/2018/02/12/jatinho-do-huck-outra-tramoia-de-alguem-ligado-ao-psdb/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s