Caminhando nu

asteroide

As tardes têm ficado cada vez mais curtas

e o sol inclinado desce cada vez mais rápido,

mas as noites têm ficado cada vez mais curtas,

as manhãs estão cada vez mais longas

e os dias, intermináveis.

Os caminhos da ida cada vez mais retos

e os da volta se cruzam sem destino certo.

O horizonte é incerto, é imprevisto e mutilado.

Os lugares se sucedem e as paradas já não importam tanto.

As passagens se repetem e se repetem.

As paisagens não se distinguem e a lembrança não se recorda delas.

O centro do mundo é qualquer lugar ou lugar nenhum,

mas não é onde eu estarei amanhã.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s