Não somos racistas, somos contra a corrupção do PT.

“O patriotismo é o último refúgio do canalha” – Samuel Johnson – escritor e pensador inglês falecido em 1784.

patriota

Às vezes, andando pelas ruas de São Paulo, observo as fachadas dos prédios de apartamentos. São de classe-média baixa ou remediada aqueles dos quais posso observar a fachada. Vez por outra, lá está, em alguma janela, uma bandeirinha do Brasil. Normalmente é de plástico e possivelmente fabricada na China.

Acho-as interessantes e representativas do momento atual.

O brasileiro, fora das Copas do Mundo, nunca foi dado a demonstrações explicitas de patriotismo. Aliás, aqui em São Paulo, na última Copa do Mundo, inclusive, o verde-e-amarelo só era visto na periferia e nos bairros mais pobres. A classe-média se manteve inicialmente em atitude de reprovação de tais demonstrações de apoio a um evento que seria o responsável por “faltar dinheiro” para educação e a saúde. Depois, os brancos foram para os estádios gritar o Hino Nacional a capela e mandar a presidente da República tomar no cu.

Pois bem, lá estão as tais bandeirinhas. São poucas, mas estão por aí. Fico imaginando quem seria o morador do apartamento ornamentado. A mensagem passada é clara. Mais um patriota.

Mais um que vestiu a camisa amarela e saiu às ruas em um domingo à noite para festejar a aceitação do impeachment por uma Câmara dos Deputados que tem as feições de Eduardo Cunha crendo que lutava contra a corrupção e a degradação moral do país.

Que processo mental o reacionário de elevador realiza para tornar aceitável a ética seletiva que lhe permite tal malabarismo?

Simples. Deram ao reacionário de elevador o álibi que ele necessitava para justificar todo o seu preconceito.

Assim, ele que em todo o congestionamento amaldiçoava Lula por ter dado carro a “qualquer infeliz”, pode afirmar não ter preconceito de classe. Não. Trata-se de uma crítica ao descontrole das contas públicas devido a gasto sociais irresponsáveis.

Igualmente com o Bolsa Família. Não se trata de preconceito de sudestino contra nordestino.  Mas que tem muito vagabundo recebendo sem precisar já não há quem negue. O programa precisa de portas de saída. Somente isso.

Apoiar a repressão da polícia aos movimentos sociais é apenas apoiar o direito que todos temos de ir e vir. Bloqueios de ruas em dias de semana são inadmissíveis. Buscam tumultuar o funcionamento da cidade, criar caos. Houve uma dezena de manifestações a favor do impeachment que ocorreram em ordem e com apoio da policia aos domingos.

Cotas para negros nas universidades. São as migalhas que o PT oferece aos negros. Somos meritocráticos.

Não há agressão a pessoas associadas aos PT nas ruas e lugares públicos, trata-se de liberdade de expressão e protesto. O povo já não aguenta mais tanta corrupção, é justa a sua revolta.

Não somos misóginos ou homofóbicos. Toda a insegurança de uma masculinidade mal resolvida sanada com o uso de uma camisa verde-amarela. Apoiar Bolsonaro é coerente com quem buscar um governo ético. Um governo de patriota.  O contrário desse governo corrupto e bolivariano que essa vaca implantou no Brasil. Tem mais é que mandar toda essa ditadura gay para Cuba. Lá eles saberão o que Che Guevara fazia com os viados. Paredão.

Não apoiamos Cunha, mas é forçoso reconhecer que sem ele o impeachment não iria adiante e a corrupção do PT continuaria a mesma.

Negros, pobres, mulheres, homossexuais, nordestinos. Sendo o PT um partido associado com todas as vítimas dos preconceitos da classe média branca, ser contra a “corrupção do PT” acabou por ser o álibi que o reacionário de elevador necessitava para demonstrar todo o seu preconceito travestido de patriotismo.

Não subestimemos o poder de arregimentação de tal subterfúgio.

Não somos racistas, somos contra a corrupção do PT.

Mas não quero aqui fazer generalizações indevidas. Deixo para você avaliar. Afinal, você conhece melhor do que eu aquele vizinho que colocou a bandeirinha do Brasil pendurada na janela.

 

PS: Esta Oficina apoia o Movimento Golpe Nunca Mais.

golpe nunca mais1

 

 

 

 

Anúncios

2 comentários

  1. Sergio, como é bom ter você por perto.

    Estou preocupada com o que prognosticam os ventos a darem rumo à nossa Nau-Pátria neste momento.

    Tenho sentido falta da inspiração de Erasto na tua pena: mas como reinar o sensorial onde impera o tacão, bem sei…

    Mais uma crônica a estampar nossa miséria. Penso no Brasil como muito maior do que tudo isso, mas me assusta o Poder que neste momento pisa no pescoço da Nação, nos imobilizando.

    Nefasto.

    Obrigada. Te desejo um bom dia!

    Anna.

  2. Belo texto. Compartilhei-o em várias arenas.
    Golpe de novo não. A rua é o nosso campo de batalha democrático.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s