Por que a moça preta não foi protestar?

Analisando o perfil étnico e socioeconômico do estrato social que esteve nas manifestações de março na Paulista, o que podemos dizer é: eles não nos representam.

1503001

Por que a moça preta de Americanópolis ou São Mateus, que tem 26 anos, curso médio completo e rendimento abaixo de cinco salários mínimos não foi à Avenida Paulista, aqui em São Paulo, para protestar no dia 13 de março de 2016?

Por certo não foi porque ela esteja satisfeita com a situação atual, por certo não foi porque não tenha justas reivindicações.

A resposta mais honesta é: porque não a convidaram.

As manifestações foram um sucesso. Não haverá petista que negue. Porém, não creio que exista quem hoje igualmente negue que foi coisa de branco.

E se assim foi, foi porque os organizadores do evento tinham em mente um publico alvo, com perdão da ironia involuntária.

Qual era esse público alvo?

Adultos brancos da classe média e acima.

Um evento com planejamento, divulgação e realização com tal grau de profissionalismo não iria deixar de definir o público alvo. Isso é básico em campanhas de marketing.

O belíssimo trabalho da Folha de São Paulo  caracterizando os manifestantes paulistanos não deixa dúvidas.

perfil - renda

perfil - idade

perfil - escolaridade

O levantamento da Folha também mostrou que 77% dos manifestantes declararam que são da cor branca e que 94% não participam de nenhum grupo que promoveu o ato. Sobre a ocupação, 12% afirmaram que são empresários  – em São Paulo a atividade é citada por apenas 2%. A quantidade de desempregados na avenida foi menor do que na população geral.

Por que um público com esse recorte socioeconômico?

Porque é o público que poderia ser mobilizado com o apelo do combate à “corrupção dos outros”, ou como a ele se referiu o autointitulado empresário, líder e porta-voz do Movimento Vem Pra Ruapessoas com valores republicanos muito bem definidos, levando o Brasil a inovar no campo da participação política”.

Tivessem como publico alvo o perfil descrito com a nossa fictícia moça, e as questões a serem discutidas passariam pela melhoria e acesso a serviços públicos de qualidade.

Mas essas não são as reivindicações do povo que foi à Paulista. Esse já tem acesso à educação e saúde particulares, tem planos privados de aposentadoria, rendimentos em aplicações financeiras e é a ele que se direciona a segurança pública possível de ser prestada pelo Estado.

Esse povo reivindica “crescimento econômico”. E, claro, a apropriação desse crescimento. Tanto que rejeita programas de renda mínima e outras ações de redução da desigualdade social empreendidas nos anos do PT. Querem o seu país de volta.

Porém, qualquer analista político sabe que como contingente eleitoral, os que foram à Paulista, ainda que em números inauditos, são eleitoralmente pouco significantes. Suas reivindicações correspondem às “medidas impopulares” que derrotaram Aécio em 2014 e tiraram apoio popular de Dilma a partir de 2015.

Em alguns meses, começam as campanhas eleitorais para as prefeituras e não será, aqui em São Paulo, em Higienópolis, Jardim América ou Vila Nova Conceição, que se concentrarão as ações dos candidatos.

Até lá, no entanto, tentarão vender no Congresso e no exterior esse povo branco como legítimo representante do “povo brasileiro”. Tal qual nas novelas da Globo onde, no Morro da Macaca ou em Paraisópolis, o povo também é branco e tem como vizinhos de viela e escadão a Vanessa Giácomo e Cauã Reymond. E onde a polícia não mata meninos com tiros na cabeça.

A quem representam?

Negros manifestação Marcelo de Franceschi

 

PS1: não tenho maiores informações sobre o povo que compareceu às manifestações em outras cidades do país, mas a foto que abre este texto é do Rio de Janeiro em março de 2016 e a que o encerra é de Santa Maria no Rio Grande do Sul em março de 2015.

PS2: esta Oficina apoia o Movimento Golpe Nunca Mais.

golpe nunca mais1

 

Anúncios

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s