Os caça-corruptos do Tio Sam

O complexo de vira-latas e oportunismo político transformando um ex-presidente do Brasil em mais um perfeito idiota latino-americano.

Na sua edição de janeiro de 2016 a revista americana Americas Quarterly traz na capa chamada e foto com destaque para o juiz Moro. Teria então a Lava Jato se tornado um assunto de interesse internacional? Não, ou pelo menos não por ter sido tratada pela pela Americas Quartely. Basta uma pesquisa sobre quem é quem nessa publicação e lá está ex-presidente FHC estimulando o nosso conhecido complexo de vira-latas e nossas reverência e subserviência ao estrangeiro e a tudo que é escrito em inglês

A matéria.

Os caça-corruptos.

A corrupção tem sido um problema nas Américas há séculos. Mas algo diferente e, pensamos, histórico está acontecendo agora.

Do Brasil a Guatemala e além, uma nova geração de procuradores, juízes e ativistas está fazendo progressos extraordinários. Esses bravos e altamente qualificados “caça-corruptos” estão processando e enviando os infratores para a prisão em números sem precedentes – não importa o quão poderosos eles sejam.

Se esta repressão continuar, vai ficar como uma das mais importantes mudanças para a América Latina no século 21. Ele irá fortalecer as democracias. Isso fará com que o mundo dos negócios fique mais transparente e mais aberto a novos participantes. E isso vai ajudar a reduzir a pobreza e a desigualdade, com os bilhões de dólares perdidos para a corrupção todos os anos sendo redirecionados para os mais necessitados.

Aqui na Americas Quarterly, nós decidimos homenagear cinco distintos líderes por trás dessa tendência. Eles são: Sérgio Moro, o juiz brasileiro responsável pelo caso da Petrobras; Iván Velásquez e Thelma Aldana, o promotor colombiano e a procuradora-geral da Guatemala, cuja investigação conjunta levou à prisão de um presidente da Guatemala; José Ugaz, o procurador peruano e presidente mundial da Transparência Internacional; e Viridiana Rios, uma ativista acadêmica mexicana a quem nós escolhemos como um símbolo da geração mais jovem dos latino-americanos que atuam fortemente em prol de mudanças na mídia social.

Estamos maravilhados com eles. E nós esperamos que eles continuem a desfrutar de grande sucesso.

Quem é Quem

A Americas Quarterly é a principal* publicação dedicada à política, negócios e cultura no Hemisfério Ocidental com foco na América Latina.

Lançados em 2007 e com sede em Nova York, a revista e seu site têm um forte apelo junto a um público amplo interessado na região. Seus leitores incluem importantes decisores políticos em Washington-DC, Brasília, Cidade do México, entre outras; executivos de multinacionais latino-americanas e empresas Fortune 500; formadores de opinião nas universidades e meios de comunicação; e uma vasta gama de leitores gerais que são apaixonados pela América Latina.

Entre os membros do conselho editorial estão os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso, … bem como as principais vozes do negócio, jornalismo, finanças e academia.

* informações obtidas no site da revista.

Complementando com uma observação muito pertinente do Tijolaço:

O editor-chefe da Americas Quarterly é Brian Winter. Para quem não está associando nome à pessoa, é o jornalista do “podemos tirar, se achar melhor”. Caso onde Winter questionava  sobre a conveniência de se omitir as menções à corrupção no Governo Fernando Henrique Cardoso em uma matéria da Reuters.

Podemos tirar

PS: esta Oficina apoia o Movimento Golpe Nunca Mais.

golpe nunca mais1

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s