Despedida.

despedida

Não mais caminharemos juntos

como caminhamos até aqui.

Cada um no seu passo,

cada um no seu traço,

rumo ao mesmo lugar.

Lugar comum?

O seu lugar, o meu lugar,

lugar nenhum.

Cada um na sua hora,

os dois no mesmo momento.

Um lamento?

O depois será de tristeza?

Solidão?

O triste é sempre agora,

o desapegar das mãos.

O depois será depois.

Seremos, então, um?

Continuaremos sendo dois.

Anúncios

2 comentários

  1. Abomino despedidas. Abomino despedir-me. Não me despeço.

    Linda esta tua despedida.

    Bardo, tua Lira é inesgotável e inigualável. Tão particular, tão única. A tua Musa tem muita sorte.

    Lindo.

  2. Dois. Silêncio em tuas páginas Sergio? Letras, palavras e o mais gritante silêncio. Signos sem significado. Chame e mantenha Erasto perto de ti. Uma lira muda não faz o Bardo que és. Não importa a circunstância; importa o imo, você inteiro. Passa por cima da dor. Passa por cima. E segue. Tuas pegadas estão impressas e não haverá despedida. Não a protocolar e maldita. Te desejo o tudo. SLP e reencontrar a Vida. Um beijo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s