Meu ódio será tua herança?

Como o futuro dos herdeiros de três símbolos da ruptura americana do século XXI pode representar um novo patamar civilizatório nas Américas, ou o seu retrocesso.

A primeira década e meia deste século XXI foi um tempo anti-horário nas Américas, caminhou da direita para a esquerda. Tempo que levou Lula, Evo Morales e Barack Obama ao poder, cada um, ao seu modo, simbólico de uma ruptura.

Um preto, um índio e um pau-de-arara presidentes. Do outro lado, os brancos. Quanto preconceito está contido nessa caracterização?

A dimensão desse quanto está no grau das resistências que tiveram de ser vencidas ou contornadas para que cada um dos presidentes ruptores tivesse reconhecido o direito ao mando que o poder democrático lhes conferiu.

Do mesmo modo, o quanto esse momento de ruptura, foi só um momento, ou o quanto representou um novo patamar civilizatório, é possível ser avaliado, se não na herança que cada um lega, na existência e no grau de aceitação dos seus herdeiros.

Obama, em um país com suficiente vivência democrática, deixará o poder para quem o povo americano assim o decidir. Não seria impensável que fizesse seu sucessor, ou sucessora, no Partido Democrata. Não seria seu demérito se os republicanos voltassem ao poder.

Obama é icônico para o povo preto americano. Ainda que pese tecnicamente não o ser, até no Brasil é assim considerado – o primeiro presidente preto dos EEUU. Deixa o poder, a meu ver, sem melhorias significativas a esse extrato do povo americano. Disso da mostra o número de pretos mortos por policiais brancos. Duas décadas antes, não era diferente.

Tampouco outras esperanças depositadas na sua figura tornaram-se realidade. Deram-lhe um Prêmio Nobel por elas, mas Guantánamo, Iraque, Afeganistão e a crise econômica, assuntos de Bush, estão onde estavam, desde que eram assuntos do Bush. E a eles somou-se ISIS e o retorno do protagonismo “soviético”.

Pelo andar da diligência, independente de quem for, o sucessor de Obama deverá ser um branco. Obama não deixa herdeiros. Mas sem nenhum trauma ao modelo democrático do seu país. Vida que segue, diria o mestre.

Evo Morales – presidente da Bolívia. Ser esse presidente um índio é um fato histórico do Círculo Polar Ártico ao Antártico.

Acompanho superficialmente a história da Bolívia, mas o suficiente para saber que um presidente ter lá completado um ano de mandato é um grande feito. Morales é presidente desde 2006. Há nove anos. Há planos de que fique até 2026.

Isso não é bom. Como Obama, Evo aparentemente não tem herdeiros. Mas, após Evo, que branco poderá ser aceito como presidente na Bolívia?

Evo caminha para uma ditadura personalista? Acompanho superficialmente a história da Bolívia.

No Brasil, vivemos a crise.

Os brancos querem voltar ao poder. Lula é seu antípoda, mais do que seu adversário. Coisas do Brasil, Lula não é preto, Lula não é índio e Lula não é branco.

Os brancos querem voltar ao poder, mas dependem do povo, para isso. Mas o povo não é visto pela classe dominante como branco. Lula é o símbolo do poder popular. O povo não é branco e, agora, o povo tem Lula como um modelo alternativo de poder não-branco.

O povo deixou de ser confiável à burguesia. Daí o momento de crise.

Coisas do Brasil, a herdeira de Lula, é Dilma. E Dilma é branca, sudestina e classe-média. Qual o motivo da resistência?

É aquela coisa da uma gota de sangue preto dos americanos. No caso da neo-intolerância branca brasileira é o caso de uma gota de sangue de Lula.

Ocorre que, da crise, estamos muito próximo da tragédia. Não é da herança de Lula que estamos tratando. É da herança do Brasil.

O Brasil, mantendo Dilma, caminha para a consolidação do seu processo democrático, condição necessária para evoluir para uma nação desenvolvida, mas sem garantias aos brancos. O Brasil restitui os brancos ao poder através de um golpe e se condena a ser um país periférico.

 

PS: para a ilustração: Platonphoto

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s