Jornalistas não merecem ser estupradas.

Há alguns dias o ex-ministro Guido Mantega foi hostilizado por representantes da nossa plutocracia. Aos gritos de “vai para o SUS” e “vai para Cuba” tentaram expulsá-lo do lugar onde ele e sua esposa se encontravam visitando um amigo hospitalizado.

não merecemos

Em 26fev2015, a Folha de São Paulo traz na sua página de Opinião o artigo “Começar de novo” sobre o ocorrido.

Nele a Folha se solidariza… com os linchadores.

Sintomático, e um tanto quanto ridículo, já que de conhecimento público, que evite citar o Hospital Albert Einstein, local da agressão. Ao invés, dentro de um texto enviesado chama-o de “um hospital particular em São Paulo”.

Confunde a ínfima parcela da nossa população com dinheiro suficiente para pagar os preços dos serviços do Albert Einstein com “o eleitorado na maior cidade e no mais rico Estado do país”.

E a recorrente manifestação de intolerância, preconceito e violência praticada por esse estrato de nossa sociedade é entendida e tratada como “a real preocupação de uma parcela cada vez mais ampla da sociedade com a ética”.

Por fim, misturando a Presidente Dilma com o Prefeito Haddad e ambos com o Cantareira, acaba por responsabilizar Mantega por sua própria agressão.

Afinal, após “repetidos escândalos de corrupção ligados ao partido” não haveria como evitar “o estigma de legenda associada a desvios”.

A vítima responsabilizada pela agressão sofrida.

Como não fazer o paralelo inevitável com o absurdo das mulheres que são responsabilizadas por terem sido violentadas sexualmente, isentando-se de culpa os tarados que as agrediram? Por certo, alguma elas aprontaram para chegar-se a isso.

E como que para provar que preconceito pode ter fundo ideológico mas não é questão de gênero, o texto da Folha é escrito por uma mulher.

Enfim, Mantega é culpado por sua agressão. Pois o que foi fazer ele – um petista, desfilar impunemente pelos salões da alta burguesia paulistana trajando uma saia curta e vermelha em torno de pernas provocantes?

Um pouco de compostura teria evitado o problema.

 

PS.1: o texto é assinado, porém, evito nominar a autora. Parece ser uma resposta à jornalista Barbara Gancia que cobrou explicações do Albert Einstein. Pode ter sido encomendado pelo patrão. E após tantas e recentes demissões na Folha, talvez tenha restado ao seus jornalistas trocar dignidade profissional pelo contracheque. Julgue-os quem estiver na mesma situação.

PS.2: no mesmo dia, Merval Pereira publica em seu blog em O Globo artigo sobre o mesmo assunto. Embora a culpabilização da vítima seja a mesma, não faz sentido dizer que Merval não merece ser estuprado.

Anúncios

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s